Governo do Estado do Rio de Janeiro
SECRETARIA DE GOVERNO
Para DENÚNCIAS e ORIENTAÇÕES ligue para 151 e o horário de funcionamento é de segunda à sexta de 07:00 às 19:00.

EDUCAÇÃO
PARA O CONSUMO

Saiba o que determina o Código de Defesa do Consumidor e aprenda a usar os seus direitos.
ENTENDA MAIS

Veja como o PROCON orienta de maneira simples e clara o consumidor, antes de realizar as compras ou adquirir serviços.
VER DICAS

Conheça o Código de Defesa do Consumidor (Português, English, Español).
MAIS INFORMAÇÕES

NOTÍCIAS

Procon-RJ autua lojas físicas e virtuais durante a Black Friday

24.11.2017 - 18:35
site_1511555615.71.jpg

A Operação Black Friday, realizada nesta sexta-feira (24/11) pelo Procon-RJ, autuou nove das 27 lojas fiscalizadas no comércio de rua do Centro do Rio e nos shoppings Via Parque, Barra Shopping, Nova América e Norte Shopping. Além disso foi aberta uma investigação preliminar e instituída uma autuação contra duas redes de varejo por problemas encontrados em sites.

Na fiscalização de rua, uma das principais irregularidades foi encontrada em filiais da rede Ricardo Eletro, localizadas na Rua Uruguaiana, 118, Centro, e no Norte Shopping. Nos dois estabelecimentos, havia etiquetas indicando ofertas em móveis da Black Friday. No entanto, na parte de trás de duas delas, havia outro cartaz com data mais antiga mostrando o mesmo preço que foi anunciado nesta sexta-feira como promocional.

Em outra loja da Ricardo Eletro, no Shopping Via Parque, um cartaz anunciava descontos de até 80%, porém não havia produto a venda com este desconto. Os fiscais determinaram a retirada imediata dos cartazes contendo essa informação. O anúncio de descontos que na verdade não existiam também foi constatado em outras lojas, como a Wöllner, do Barra Shopping, e a Universo Kids, do Via Parque.

Monitoramento identifica problemas em duas lojas virtuais

Por meio do monitoramento de preços feito pelo Procon-RJ, foi aberta uma autuação contra a B2W por problemas encontrados no site da Lojas Americanas. Dois produtos - um fogão e um aparelho de ar condicionado - estavam sendo vendidos com preços supostamente promocionais sendo que, dias antes da Black Friday, eram oferecidos por valores iguais ou até menores do que os anunciados nesta sexta-feira.

O monitoramento também identificou que produtos vendidos pelo site da Casas Bahia tinham prazos de entrega que superavam 90 dias sem qualquer explicacação que justificasse a demora. Isso motivou a abertura de uma investigação preliminar contra a CNova, empresa responsável pelo site.

O Procon-RJ monitorou, durante uma semana, os preços de TVs, smartphones, geladeiras, fogões e aparelhos de ar condicionado nos sites das seguintes lojas: Americanas, Casas Bahia, Ponto Frio, Casa&Vídeo e Magazine Luiza.Nesta sexta-feira, o Procon-RJ recebeu um total de 19 denúncias, incluindo contatos pelo Procon Online (www.procononline.rj.gov.br), pelo aplicativo Meu Procon-RJ e pelo telefone 151. O número caiu em relação às 36 reclamações registradas na Black Friday do ano passado, o que pode ser explicada pela forte atuação dos órgãos de proteção e defesa do consumidor, pela ampla divulgação de dicas para o dia de promoções e por uma maior adequação por parte das empresas.

Não foram encontradas irregularidades nas seguintes lojas físicas:

Centro:Tele Rio (duas lojas, nos números 44 e 114 da Rua Uruguaiana), Leader (Rua Uruguaiana, 55), Casa&Vídeo (Rua Uruguaiana, 35), Tele Rio (Rua Uruguaiana, 44), Casas Bahia (Rua Uruguaiana, 5) e KFC (Rua Sete de Setembro, 127).

Norte Shopping: Fast Shop, Ponto Frio Mobile, Oi, Euro Colchões, Ponto Frio e Casas Bahia.

Nova América: Leader, Lojas Americanas e Casa&Vídeo.

Barra Shopping/New York City Center: CasaVídeo e Zara.

Via Parque: Imaginarium.

 

Balanço da Operação Black Friday:

Centro:

1 - Casas Bahia (Rua da Alfândega, 116): Ausência do certificado do Corpo de Bombeiros.

2 - Ricardo Eletro (Rua Uruguaiana, 118): Cartaz de preço de sofá indicando de promoção de R$ 999,00 por R$ 799,00 sendo que havia outro cartaz atrás da oferta, datado de 16/11/2017, onde produto já constava com o valor de R$ 799,00. Fonte da parcela a prazo maior do que preço à vista.

 

Norte Shopping:

1 - Ricardo Eletro: Cartaz de preço de cama box informado valor de Black Friday com o mesmo valor ofertado por cartaz com data de 14/11/2017.

 

Nova América:

1 - Ortobom: Ausência de preços em produtos expostos à venda.

2 - Ponto Frio: Ausência do alvará de funcionamento.

 

Barra Shopping/New York City Center:

1 - Leader: Bancada com camisas com cartaz promocional informando preço a partir de R$ 25,99, só que a camisa mais barata que havia custava R$ 29,99. Bancada com almofadas com cartaz promocional informando o preço a partir de R$ 19,99. No entanto, todas as almofadas estavam sem preço e, quando era consultado o código de barras, o valor informado era de R$ 24,99. Apenas uma almofada, que só foi identificada após a fiscalização chamar um vendedor da loja, pois havia um universo de aproximadamente 60 almofadas, custava R$ 19,99. O procedimento induz o consumidor a erro. Bancada com mantas sem preço ou código de barras que permitisse a consulta pelo consumidor. Ausência do cartaz do cartaz do 151 e do Livro de Reclamações. Cartaz com política de trocas vedando indiscriminadamente a troca de roupas íntimas, tablets e celulares, ainda que os mesmos estejam com defeito.

2 - Wöllner: Cartaz promocional da Black Friday informando descontos de até 50%, mas a única blusa feminina que constava como se tivesse o desconto de 50% tinha, na verdade, 41% de desconto (de R$ 109,00 por R$ 64,00).

 

Via Parque:

1 - Ricardo Eletro: Cartaz informando descontos de até 80%, porém não havia nenhum produto com esse desconto. Os fiscais determinaram a retirada imediata dos cartazes contendo esta informação. Fonte da parcela a prazo maior do que a fonte do preço à vista.

2 - Universo Kids: Cartaz promocional da Black Friday informando 70% de desconto, no entanto não havia produtos com este desconto. Os fiscais determinaram a retirada imediata do cartaz. Ausências de preços em produtos expostos à venda e dos cartazes do 151 e do Livro de Reclamações.
Tecnologia PRODERJ - Todos os direitos reservados
Esta obra é licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuio 2.0 Brasil